Pular para o conteúdo principal

Eleições 2016 terão mais de 63 mil vagas em disputa, presidente do TSE pede respeito à legislação durante a propaganda eleitoral

A partir desta terça-feira (16) está liberada a propaganda eleitoral nas Eleições 2016. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, falou com a imprensa na manhã de hoje e fez um apelo pelo voto consciente e conclamou todos os envolvidos no pleito a levarem uma mensagem positiva ao público nas eleições municipais de outubro, respeitando a legislação


“Façamos um esforço, todos nós, no sentido de levarmos uma mensagem positiva ao público. Que os partidos políticos se engajem nesse sentido e que realmente haja o voto consciente e responsável e, sobretudo, nos esforcemos para cumprir a legislação”, disse ele.

A legislação eleitoral traz uma série de restrições para as quais os candidatos a prefeito, vice-prefeito ou vereador, partidos e coligações devem prestar atenção. A propaganda eleitoral termina no dia 1º de outubro, na véspera da eleição, em primeiro turno.

Para prefeito, o número corresponde ao total de municípios que participarão desse pleito, que é de 5.568. Já para vereador, em todo o país serão 57. 931 vagas. Esses dados foram informados ao TSE pelos cartórios eleitorais de todo o Brasil.

O estado de Minas Gerais, por exemplo, está em primeiro lugar em oferta de vagas, com 853 para prefeitos e 8.481 para vereados. Em segundo lugar está o estado de São Paulo com 645 vagas para prefeitos e 6.985 para vereadores.

O número de vagas para vereador é determinado pela quantidade de habitantes, em conjunto com a Lei Orgânica de cada município. Para exemplificar, em um suposto município com 125 mil habitantes a lei permite até 19 vereadores, mas a Lei Orgânica desse município pode autorizar apenas 18, por não ter recursos financeiros para suportar mais.

As regras da propaganda estão contidas na Resolução TSE nº 23.457/2015, que trata da propaganda eleitoral, do horário gratuito no rádio e na TV e das condutas ilícitas na campanha de 2016. As punições para quem descumprir as proibições impostas vão de multa a detenção.

Confira, a seguir, o que é permitido e proibido na propaganda eleitoral:

Material gráfico, caminhada e carreata

A partir desta terça-feira (16), até as 22h do dia 1º de outubro, poderá haver distribuição de material gráfico, caminhada, carreata, passeata ou carro de som que transite pela cidade divulgando jingles ou mensagens de candidatos, observados os limites e as vedações legais. 

Propaganda eleitoral geral 

Qualquer que seja a sua forma ou modalidade, a propaganda eleitoral sempre mencionará a legenda partidária e só poderá ser feita em língua nacional. Além disso, não deverá usar de meios publicitários destinados a criar, artificialmente, na opinião pública, estados mentais, emocionais ou passionais. 

Para a eleição majoritária (prefeito e vice-prefeito), a propaganda da coligação utilizará, obrigatoriamente, sob sua denominação, as legendas de todos os partidos que a compõem. A propaganda dos candidatos a cargo majoritário deverá conter também os nomes dos candidatos a vice, de modo claro e legível, em tamanho não inferior a 30% do nome do titular. Já na propaganda para a eleição proporcional (vereador), cada partido usará somente a sua legenda sob o nome da coligação. 

A lei estabelece que a realização de qualquer ato de propaganda partidária ou eleitoral, em local aberto ou fechado, não depende de licença da polícia. 

Alto-falantes, comícios, showmícios, brindes e outdoors 

É permitido o uso de alto-falantes ou amplificadores de som na propaganda eleitoral somente das 8h às 22h, sendo proibido o uso desses equipamentos a menos de 200 metros das sedes dos Poderes Executivo e Legislativo da União, dos estados, do Distrito Federal, dos municípios, hospitais, casas de saúde, escolas, bibliotecas públicas, entre outras instituições. 

Os candidatos, os partidos e as coligações poderão realizar comícios e utilizar aparelhagem de sonorização fixa, das 8h às 24h, podendo o horário ser prorrogado por mais duas horas quando se tratar de comício de encerramento de campanha.

A Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97) proíbe a realização de showmício e de evento assemelhado para promover candidatos. E, ainda, a apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animar comício e reunião eleitoral. 

Também é proibido ao candidato ou comitê distribuir na campanha brindes, camisetas, chaveiros, bonés, canetas, cestas básicas ou qualquer outro bem ou material que possa proporcionar vantagem ao eleitor. Neste caso, o infrator poderá responder pela prática de compra de voto, uso de propaganda vedada e, conforme a conduta, por abuso de poder. 

A propaganda eleitoral por meio de outdoors, inclusive eletrônicos, não é permitida. A empresa responsável, os partidos, as coligações e os candidatos que desrespeitarem essa regra estão sujeitos à imediata retirada da propaganda irregular e ao pagamento de multa no valor de R$ 5 mil a R$ 15 mil. 

Não é possível o uso de engenhos ou de equipamentos publicitários ou de conjunto de peças de propaganda que, justapostas, se assemelhem ou causem efeito visual de outdoor. 

Propaganda em bens públicos e particulares 

É vedada a veiculação de propaganda de qualquer natureza, inclusive pichação, inscrição a tinta, colocação de placas, faixas, estandartes, cavaletes, bonecos e peças afins em bens em que o uso dependa de cessão ou permissão do poder público, ou que a ele pertençam. E ainda nos bens de uso comum, inclusive postes de iluminação pública, sinalização de tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus e outros equipamentos urbanos. Também é proibida a colocação de propaganda eleitoral em árvores e jardins localizados em áreas públicas, bem como em muros, cercas e tapumes divisórios. 

Já a propaganda em bens particulares não depende de licença municipal e de autorização da Justiça Eleitoral, desde que seja feita em adesivo ou em papel, não supere a meio metro quadrado e não contrarie a legislação eleitoral. A justaposição de adesivo ou de papel em que a dimensão exceda a meio metro quadrado configurará propaganda irregular, devido ao efeito visual único, mesmo que a publicidade, individualmente, tenha respeitado a dimensão prevista. 

A lei estabelece que a propaganda eleitoral em bens particulares deve ser espontânea e gratuita. Está proibido qualquer tipo de pagamento em troca de espaço para essa propaganda. 

Folhetos, adesivos e derrame de propaganda 

Também não é necessária licença municipal e de autorização da Justiça Eleitoral para veicular propaganda eleitoral por meio de folhetos, adesivos, volantes e outros impressos. Esses devem ser editados sob a responsabilidade do partido, da coligação ou do candidato. É facultada a impressão em braille de seus conteúdos. 

Todo material impresso de campanha terá que trazer o CNPJ ou o CPF do responsável pela confecção, bem como de quem a contratou, e a respectiva tiragem. O infrator que descumprir essa regra responderá pelo uso de propaganda vedada e, se for o caso, por abuso de poder. 

Ainda que feito na véspera da eleição, o derrame (ou a sua concordância) de material de propaganda no local de votação ou em áreas próximas se caracterizará como propaganda irregular. 

Propaganda na internet e telemarketing 

A propaganda eleitoral pela internet também está liberada a partir de 16 de agosto. A resolução do TSE afirma que a livre manifestação do pensamento do eleitor identificado na internet somente é passível de limitação quando ocorrer ofensa à honra de terceiros ou divulgação de fatos sabidamente inverídicos. É proibida a propaganda eleitoral paga na internet. 

Será possível fazer propaganda eleitoral na internet em sites do candidato, do partido ou coligação e por meio de mensagem eletrônica para endereços cadastrados gratuitamente pelo candidato, pelo partido ou coligação. E também por meio de blogs, redes sociais, sites de mensagens instantâneas e assemelhados, cujo conteúdo seja gerado ou editado por candidatos, partidos, coligações ou de iniciativa de qualquer pessoa natural. 

Não é admitida a propaganda eleitoral pela internet, ainda que gratuita, em sites de pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos, e em sites oficiais ou hospedados por órgãos ou por entidades da administração pública direta ou indireta da União, estados, Distrito Federal e dos municípios. 

É livre a manifestação do pensamento, sendo proibido o anonimato na campanha eleitoral na internet. A lei assegura o direito de resposta, inclusive por outros meios de comunicação interpessoal mediante mensagem eletrônica. 

Sem prejuízo das sanções civis e criminais ao responsável, a Justiça Eleitoral poderá determinar, por solicitação do ofendido, a retirada de publicações que contenham agressões ou ataques a candidatos em sites da internet, incluindo redes sociais. É proibida a venda de cadastro de endereços eletrônicos. 

As mensagens eletrônicas enviadas por candidato, partido ou coligação, por qualquer meio, deverão conter mecanismo que permita ao destinatário se descadastrar, sendo o remetente obrigado a providenciar a retirada do nome em 48 horas. As mensagens encaminhadas após esse prazo sujeitam os responsáveis à multa de R$ 100,00 por mensagem. 

Quem fizer propaganda eleitoral na internet, atribuindo de forma indevida sua autoria a terceiro, inclusive candidato, partido ou coligação, será punido com multa de R$ 5 mil a R$ 30 mil, sem prejuízo das demais sanções legais cabíveis. 

Está proibida a propaganda eleitoral via telemarketing em qualquer horário. 

Na imprensa escrita

Até a antevéspera das eleições, pode haver a divulgação paga, na imprensa escrita, e a reprodução na internet do jornal impresso, de até dez anúncios de propaganda eleitoral, por veículo, em datas diversas, para cada candidato, no espaço máximo, por edição, de um oitavo de página de jornal padrão e de um quarto de página de revista ou tabloide. O anúncio deverá trazer, de maneira visível, o valor pago pela inserção. 

Está autorizada a reprodução virtual no site do próprio jornal de sua edição impressa, independentemente de seu conteúdo. No entanto, deve ser respeitado integralmente o formato gráfico e o conteúdo editorial da versão impressa. 

Não será tomada como propaganda eleitoral a divulgação de opinião favorável a candidato, partido ou coligação pela imprensa escrita, desde que não seja matéria paga. Porém, serão apurados e punidos os abusos e os excessos, assim como as demais formas de uso indevido do meio de comunicação. 

No rádio e na TV 

Desde 30 de junho, as emissoras de rádio e televisão estão proibidas de transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato, sob pena, no caso de sua escolha na convenção partidária, de aplicação de multa e de cancelamento do registro da candidatura de quem tenha se beneficiado. 

Desde 6 de agosto, as emissoras estão impedidas, em sua programação normal e noticiário, de veicular propaganda política e dar tratamento privilegiado a candidato, partido ou coligação, entre outras restrições. 

Debates 

Os debates veiculados nas emissoras de rádio e TV seguirão as regras estabelecidas por acordo feito entre os partidos e a pessoa jurídica interessada na realização do evento, além de ser necessário comunicar à Justiça Eleitoral com antecedência. Candidato na eleição proporcional (vereador) somente pode participar de apenas um debate na mesma emissora. 

Quando transmitidos na televisão, os debates deverão usar, entre outros recursos, subtitulação por meio de legenda oculta, janela com intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras) e autodescrição. 

No primeiro turno, o debate poderá ser feito até as 7h do dia 30 de setembro. E, em caso de segundo turno, até a meia-noite de 28 de outubro. 

Propagandas não toleradas 

A legislação proíbe propaganda de guerra, de processos violentos para subverter o regime, a ordem política e social, ou de preconceitos de raça ou de classes. Veda ainda o incitamento de atentado contra pessoa ou bens; caluniar, difamar ou injuriar qualquer pessoa, além de atingir órgãos ou entidades que exerçam autoridade pública; perturbe o sossego público; prejudique a higiene e a estética urbana, entre outras. 

Serviços telefônicos

A partir desta terça-feira (16), independentemente do critério de prioridade, os serviços telefônicos, oficiais ou concedidos, farão instalar, nas sedes dos diretórios partidários devidamente registrados, telefones necessários, mediante requerimento do respectivo presidente e pagamento das taxas devidas.
Acesse aqui a íntegra da Resolução TSE nº 23.457/2015


O artigo 29 da Constituição Federal, juntamente com a Emenda nº 58, de 2009, define no inciso IV apenas um número máximo de vereadores conforme o número de habitantes do município. Mas o que estabelece de fato a quantidade de vereadores é a Lei Orgânica de cada município, a lei máxima que o rege, que respeita o que diz a Constituição Federal.

Comentários

Melhores da semana

Modelo de requerimento de desfiliação partidária

Modelo de requerimento de desfiliação partidária (desligamento)
A desfiliação Partidária (desligamento) deve ser realizada em dois momentos.
O primeiro momento você deve redigir um requerimento igual ao "MODELO 1", em duas vias. Uma via do seu pedido de desligamento uma ficará no partido, e outra será a sua contrafé. O requerimento será endereçado ao presidente da agremiação partidária que você esta sedesvinculando.
No segundo momento, você deve anexar à contrafé do "MODELO 1" com o segundo requerimento"MODELO 2", que seguirá para o juiz eleitoral da Zona Eleitoral em que você é eleitor, em duas vias, uma ficará na Zona Eleitoral e a outra será a sua contrafé, seguindo estas instruções você não correrá o risco de ter dupla filiação.
Estamos incluindo o "MODELO 3" a fim de suprir uma demanda de nossos leitores do facebook e blog que nos pediram por e-mail, serve para requerer direto ao juiz eleitoral a desfiliação, por falta do diretório ou da…

SAÚDE: Hospital possui um enfermeiro para 100 pacientes

Ao ser repassado para o Instituto Gerir, a promessa era de desburocratizar e ampliar o atendimento do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas a realidade é bem diferente. Passados três anos que o governo passou a saúde para as Organizações Sociais (OS's) A a rotina é de pressão, déficit de funcionários e falta de medicamentos e equipamentos, conforme revela documentos que tivemos acesso com exclusividade

Agaciel Maia, sua área verde e seus processos pelos atos secretos no Senado

O deputado distrital Agaciel Maia (PR) se tornou réu em um processo por crime ambiental. Ele e a esposa, Sanzia Erinalva do Lago Cruz Maia, são acusados de aumentar as instalações de uma mansão de propriedade da família, no Lago Sul, invadindo 10 mil metros quadrados de uma Área de Preservação Permanente (APP). Ambos haviam sido denunciados, no ano passado, pela Procuradoria-Geral de Justiça do DF

Brasília sediará entre os dia 29 de setembro e 1° de outubro o primeiro Congresso Nacional de Síndicos

O Congresso Nacional de Síndicos, o I CONGRESS é uma iniciativa da Associação de Síndicos de Condomínios Comerciais e Residenciais do Distrito Federal - ASSOSÍNDICOS-DF e Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais - ABRASSP com a organização da Inova Gestão, da Revista Condomínio & Soluções, e da Anderson Machado Consultoria e Assessoria Jurídica Condominial

CURSO 2 EM 1: Curso de Formação em Agente de Portaria e Curso de Formação em Segurança Condominial

PAGUE UM E ESTUDE DOIS: Curso de Formação em Agente de Portaria e Curso de Formação em Segurança Condominial por R$99,00. Curso com dupla certificação. Nos últimos cinco anos, o Mercado Imobiliário e a economia do País vivem uma união perfeita, por isso é importante trabalhadores capacitados

O papel dos síndicos e dos síndicos profissionais nos condomínios brasileiros será debatido no senado federal

O papel dos síndicos e dos síndicos profissionais nos condomínios brasileiros será debatido em audiência pública na Comissão Senado do Futuro (CSF) nesta quinta-feira (31). A iniciativa é do presidente da comissão, senador Hélio José (PMDB-DF)
Foto: Pedro França.

Hélio José vota com o trabalhador e perde cargos no Governo Federal

Nesta quarta-feira (21) o senador Hélio José (PMDB-DF) acabou pagando pela votação ocorrida nesta última terça-feira (20) na Comissão de Assuntos Sociais – Cas. O relatório de Ricardo Ferraço (PSDB-ES) sobre a reforma trabalhista foi rejeitado pela comissão por 10 votos contrários e 9 a favor, onde o voto do senador Hélio José foi decisivo para a primeira derrota desta proposta da reforma trabalhista no Senado Federal

Oportunidade - Workshop Internacional Mogno Africano acontece no dia 7 de abril em São Paulo

O Workshop Internacional de Mogno Africano visa difundir e fortalecer o cultivo desta madeira nobre no Brasil, promovendo a interação entre profissionais e empreendedores, criando-se assim, uma rede de colaboradores capaz de otimizar todo processo da cadeia produtiva e de manejo desta espécie.

Hélio dos Santos fala sobre os seus projetos para o Cruzeiro/Sudoeste/Octogonal

Morador do Cruzeiro desde 1961, Helio Tremendani dos Santos sempre foi uma pessoa totalmente integrada à comunidade do Cruzeiro, conhecedor profundo dos problemas e anseios da cidade. Batalhador incansável em defesa dos interesses e das reivindicações do Cruzeiro e de seus moradores

Cartilha Tudo Síndico será lançada no dia 10 de setembro

Brasília recebera no dia 10 de setembro de 2016 a terceira edição da Cartilha DICAS ÚTEIS PARA ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIOS que terá o nome de TUDO SÍNDICO
INSCRIÇÕES AQUI

Mais vistas

Modelo de requerimento de desfiliação partidária

Modelo de requerimento de desfiliação partidária (desligamento)
A desfiliação Partidária (desligamento) deve ser realizada em dois momentos.
O primeiro momento você deve redigir um requerimento igual ao "MODELO 1", em duas vias. Uma via do seu pedido de desligamento uma ficará no partido, e outra será a sua contrafé. O requerimento será endereçado ao presidente da agremiação partidária que você esta sedesvinculando.
No segundo momento, você deve anexar à contrafé do "MODELO 1" com o segundo requerimento"MODELO 2", que seguirá para o juiz eleitoral da Zona Eleitoral em que você é eleitor, em duas vias, uma ficará na Zona Eleitoral e a outra será a sua contrafé, seguindo estas instruções você não correrá o risco de ter dupla filiação.
Estamos incluindo o "MODELO 3" a fim de suprir uma demanda de nossos leitores do facebook e blog que nos pediram por e-mail, serve para requerer direto ao juiz eleitoral a desfiliação, por falta do diretório ou da…

Agaciel Maia, sua área verde e seus processos pelos atos secretos no Senado

O deputado distrital Agaciel Maia (PR) se tornou réu em um processo por crime ambiental. Ele e a esposa, Sanzia Erinalva do Lago Cruz Maia, são acusados de aumentar as instalações de uma mansão de propriedade da família, no Lago Sul, invadindo 10 mil metros quadrados de uma Área de Preservação Permanente (APP). Ambos haviam sido denunciados, no ano passado, pela Procuradoria-Geral de Justiça do DF

Feira Condominial e ConBraSíndicos em Águas Claras-DF

O evento ocorrera em Águas Claras no Distrito Federal, dos dias 21 a 23 de outubro de 2016, com entrada franca

SAÚDE: Hospital possui um enfermeiro para 100 pacientes

Ao ser repassado para o Instituto Gerir, a promessa era de desburocratizar e ampliar o atendimento do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas a realidade é bem diferente. Passados três anos que o governo passou a saúde para as Organizações Sociais (OS's) A a rotina é de pressão, déficit de funcionários e falta de medicamentos e equipamentos, conforme revela documentos que tivemos acesso com exclusividade

CURSO 2 EM 1: Curso de Formação em Agente de Portaria e Curso de Formação em Segurança Condominial

PAGUE UM E ESTUDE DOIS: Curso de Formação em Agente de Portaria e Curso de Formação em Segurança Condominial por R$99,00. Curso com dupla certificação. Nos últimos cinco anos, o Mercado Imobiliário e a economia do País vivem uma união perfeita, por isso é importante trabalhadores capacitados

Brasília sediará entre os dia 29 de setembro e 1° de outubro o primeiro Congresso Nacional de Síndicos

O Congresso Nacional de Síndicos, o I CONGRESS é uma iniciativa da Associação de Síndicos de Condomínios Comerciais e Residenciais do Distrito Federal - ASSOSÍNDICOS-DF e Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais - ABRASSP com a organização da Inova Gestão, da Revista Condomínio & Soluções, e da Anderson Machado Consultoria e Assessoria Jurídica Condominial

Cartilha Tudo Síndico será lançada no dia 10 de setembro

Brasília recebera no dia 10 de setembro de 2016 a terceira edição da Cartilha DICAS ÚTEIS PARA ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIOS que terá o nome de TUDO SÍNDICO
INSCRIÇÕES AQUI

Cultura - Contação de histórias e muito mais animam o Terraço Shopping

Teatrinho sobre duas amigas ensinará o valor da amizade
Foto: Telmo Ximenes

Oportunidade - Workshop Internacional Mogno Africano acontece no dia 7 de abril em São Paulo

O Workshop Internacional de Mogno Africano visa difundir e fortalecer o cultivo desta madeira nobre no Brasil, promovendo a interação entre profissionais e empreendedores, criando-se assim, uma rede de colaboradores capaz de otimizar todo processo da cadeia produtiva e de manejo desta espécie.

Congresso Brasileiro de Síndicos e Feira Condominial deve reunir 3 mil síndicos em Águas Claras

O evento ocorrera em Águas Claras no Distrito Federal, dos dias 21 a 23 de outubro de 2016, com entrada franca